Flores

segunda-feira, 25 de outubro de 2010
Há algum tempo tento encontrar explicações pra alguns fatos que ocorreram e ocorrem há dois anos, ou mais.

Voltamos de Londres e tudo está diferente, parece até que aterrissamos em uma Maringá diferente. Parece que eu aterissei em uma vida diferente da que eu tinha antes. Uma vida cheia de novas oportunidades, novas ideias, novos caminhos a serem seguidos, novos caminhos que foram, de fato, seguidos.

Nesses (quase) dois anos pós-Londres, algumas coisas me chatearam, como a incompreensão de um quadro que se fixou e nunca mais voltará a ser o mesmo. E, por mais que os motivos estejam óbvios e tão bem determinados, eu não compreendo. Não compreendo como amizades, amores, respeito e outras coisas podem se esfarelar tão facilmente e sem esforço algum...

No entanto, a cada dia que passa, eu me convenço mais de que era a gente que tava forçando a barra... tentando juntar pecinhas de um quebra-cabeças já totalmente desestruturado e sem possibilidade de conserto. Nesse esforço, pagamos o pato. Nos distanciamos de pessoas (que sempre foram) importantes e conflitos inúteis e desgastantes ocorreram.

Eu tenho dificuldades pra aceitar certas coisas... Ainda me dói no peito e meu ar falta por coisas que eu nem deveria me preocupar... eu sei que as pessoas por quem eu me importo estão bem e não ligam pra tudo isso (ou fingem que não ligam).

Enfim... eu estou escrevendo toda essa bad trip por um motivo muito específico. Eu não sei o que está acontecendo nas últimas semanas comigo, mas se eu acreditasse em aura ou qualquer coisa do tipo eu diria que a minha está péssima... e eu não vou deixar que isso me aborreça mais. Chega... o mês da aura pesada acaba aqui, neste ponto final.

Diante de tantas coisas confusas neste post (que uma dúzia de pessoas vão entender), há de se deixar claro que, apesar dos pesares, eu tive dois anos muito felizes e de muito sucesso profissional, amoroso e com amizades antigas.

Mas em especial, o que marcou muito esses dois anos foi a presença de duas pessoas na minha vida. Duas amigas maravilhosas que fiz e que valem mais do que qualquer conflito. Essas "flores" que brotaram do nada (eu ainda não sei como a gente nunca se topou) surgiram como um presente. Meninas que estiveram o tempo todo ao meu lado, me auxiliaram em importantes decisões na vida (sérião, como diz o Rafa) e que sempre dialogaram com uma franqueza que eu jamais vira antes.

Pra variar, eu to atrasada com uma porção de coisas e, neste momento to saindo voando pro colégio onde faço estágio e, por isso, vou deixar incompleto este post. O que é muito simbólico, diante do que está acontecendo e, que desta vez somente três pessoas irão me compreender...

O fato é... flores, vocês valem muito pra mim. Muito mais do que pensam. (ou do que eu demonstro)

;***






0 comentários:

 

outros ares

Tecnologia do Blogger.

você por aqui?

Ocorreu um erro neste gadget
 

© 2010 Prisci's thoughts